terça-feira, 18 de junho de 2013

Moda x Jornalismo por Lorena Martins

Desde muito tempo atrás que eu, Leonardo, sonho em trabalhar diretamente com o jornalismo de moda, alguns de vocês que acompanham o AM a mais tempo sabem muito bem disso. No início de tudo, logo quando eu resolvi imergir nesse mundinho, eu acabei optando pelo curso de Design de moda para poder me preparar para o mercado de trabalho, cursei durante dois semestres e percebi que não era nada daquilo que eu queria. Eu não queria ser estilista, não era pra mim. Mudei de curso para Jornalismo Multimídia, no Centro Universitario UNA aqui em Belo Horizonte, foi quando eu me encontrei e percebi que é nesse meio que eu quero trabalhar para o resto da vida. Foi fácil essa escolha? NÃO!

A escolha do curso é muito complicada, há opiniões totalmente diferentes sobre o assunto "jornalismo de moda". Certa vez conversando com uma das maiores jornalistas de moda do Brasil, Maria Prata, ela me disse que se formou em Design de moda e depois foi se especializar como jornalista, e isso a ajudou muito na hora de ter uma opinião sobre algum fato ligado a moda, já a Susana Barbosa, Editora da revista ELLE, me disse uma vez que da prioridade para quem é formado em jornalismo para entrar na sua equipe. Ouvir opiniões divergentes de profissionais tão importantes assim me deixou com uma dúvida enorme algum tempo atrás. E agora? Qual curso escolher? Eu resolvi que quero me formar em Jornalismo, mas sei que essas dúvidas de "qual curso devo escolher" aflinge muitos de vocês, portanto, de tempos em tempos eu vou convidar algum profissional da área para poder esclarecer algumas coisinhas pra vocês e também dar dicas de como se dar bem nessa área de Jornalismo de moda. 

A convidada para abrir os trabalhos sobre essa discussão Moda x Jornalismo é a Lorena Martins. Ela tem 24 anos, cursou jornalismo na PUC Minas e trabalha como repórter de moda no Caderno Pandora/ Jornal O Tempo. Eu fiz algumas perguntas pra Lorena e que podem servir de luz para alguns de vocês irem conhecem como funciona o jornalismo de moda na pratica. 


O que fez você escolher o curso jornalismo?


Eu encontrei no jornalismo uma forma de trabalhar com tudo aquilo que eu me interessava, sem ser na área específica, sabe? Sempre me interessei em comunicação e particularmente pela reportagem. A ideia de que num simples passeio pela rua você descobrir matérias e histórias (que chamamos hoje de pauta) e que podem ser compartilhadas com várias outras pessoas é incrível. E é um campo bem grande, você pode trabalhar com várias áreas dentro do próprio jornalismo.

Como é o curso de jornalismo?

Com certeza o curso de Jornalismo me forneceu valores, regras e uma base enorme para saber escrever. É lá que você enxerga o lado do leitor e do repórter, e compara, aprende a apuração e como deve fazer. Mas é aquela base de reportagem, que qualquer jornalista precisa ter. Ainda falta disciplinas mais específicas e um direcionamento maior para determinadas áreas. 

Como era a sua relação com a moda antes de entrar para o curso de jornalismo? Você já sabia que queria trabalhar com jornalismo de moda?

Eu sempre gostei de moda, talvez por influencia da minha mãe, que foi uma top internacional na década de 80. Mas nunca pensei em me arriscar como estilista, porque não queria trabalhar com moda dessa forma. Sempre contribui com matérias de moda e comportamento, a maioria dos meus trabalhos acadêmicos também foram voltados para jornalismo de moda e fazia contribuições para alguns sites e blogs, voltados para a área de entrevistas e jornalismo (que é o que eu sei fazer). Inclusive, era repórter colaboradora do blog Ameixa Japonesa, e eu colaboro até hoje com ele.
Apesar de ser uma área que eu gosto muito e que é ótimo trabalhar, dentro do jornalismo e em uma redação de jornal (que é meu caso), várias outras áreas surgem e é ótimo ter uma oportunidade de fazer outras coisas. Eu mesma fiquei durante muito tempo no caderno de Gastronomia, e nos plantões encaro matérias policiais e até esportes. É excelente um jornalista se especializar em uma área, mas o curso de jornalismo dá a base de reportagem e apuração, capaz de fazer você se virar em qualquer outra área, o que um bom repórter tem que fazer. 

Na sua opinião, quem pretende trabalhar com jornalismo de moda deve cursar design de moda ou jornalismo? 

Design de moda e jornalismo de moda são duas coisas completamente diferentes. Não é necessário ser estilista e/ou stylist, por exemplo, para dizer que é jornalista. Por esse motivo, eu defendo muito o meu curso. Aliás, cobrir semana de moda como SPFW e Fashion Rio é algo que te exige muito profissionalmente. É uma responsabilidade muito grande informar as pessoas com clareza e dizer com propriedade as próximas tendências.
Independente da área que você for atuar (moda, esportes, gastronomia), você é jornalista, o que envolve, no mínimo saber escrever e saber escrever de uma maneira clara para o leitor; saber informar sem dar a sua opinião e ser imparcial. E não precisa ter apenas conhecimento em moda, e sim na técnica de apurar e escrever. É isso que faz diferencial de um bom veículo são os profissionais envolvidos, e profissionais sérios e competentes. Para ser jornalista de moda, é necessário ler e procurar se informar em grandes publicações jornalísticas. 

É difícil conseguir emprego na área de jornalismo de moda? Quais dicas você daria para quem pretende ingressar nessa carreira?

Depende de onde você está. Em Belo Horizonte, não tem muitas publicações, diferentemente de São Paulo, por exemplo. O ideal é procurar se informar e ter contatos com pessoas da área e ficar atendo às publicações de moda, cadernos e sites para futuras possibilidades.

Onde você trabalha atualmente e como é a sua rotina de trabalho?

Eu trabalho no Caderno Pandora do Jornal O Tempo, cuja editora é a Natália D'ornellas que tem uma bagagem incrível de jornalismo de moda. Como trabalho em uma grande redação de jornal, não tem como eu me focar só na moda, eu tenho que ficar atenta e bem informada à tudo, aliás, são das grandes notícias e que olhares atentos do que acontece no país e no mundo é que surges oportunidades de fazer matérias de moda factuais. 
Além disso, tem o compromisso em cumprir horário, fechar o caderno em cima do dead-line, é tudo muito corrido, tudo pra "ontem". 

O que você acha dos blogs de moda brasileiros? Eles podem servir como portfólio para um futuro jornalista conseguir um emprego no futuro?

Eu acho que tem muita coisa boa e muita coisa ruim, mas isso acontece com tudo que é postado na internet. Mas eu vejo muita gente bacana produzindo conteúdo bom. Quando algo é bem escrito e bem feito, pode e deve servir de portfólio sim. Eu, por exemplo, colaborava com matérias e entrevistas na área de moda para o blog Ameixa Japonesa. Como ele sempre foi feito por jornalistas e o trabalho é bacana, eu continuo contribuindo até hoje, a diferença é que lá é mais instantâneo.

Quais revistas, sites e blogs de moda você acompanha e indica para os leitores do AM se manterem atualizados e irem se familiarizando com a área?

Por aqui, sempre leio o FFW e o Style.com, que são sites excelentes para ficar por dentro das semanas de moda nacionais e internacionais. Além disso, adoro as matérias do Chic e da Vogue, são sempre pautas bacanas de tendências e novidades. Essas revistas mais "jovem" como a Glamour, são ótimas também pra ficar de olho em tudo o que tá rolando no mundo, de uma forma mais descontraída. Além disso, um dos meus preferidos, é o caderno Ela, da Globo. Eles tem um site excelente e eu me pauto bastante nele.

Post tirando dúvidas sobre a faculdade de moda: AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário