sábado, 12 de janeiro de 2013

Alexander McQueen Outono-inverno 2013/14

Alguns "séculos" atrás, quando eu comecei a entender o que era moda de verdade, existia um estilista que me deixava emocionado a cada desfile que eu assistia. Aquela empolgação de estudante de moda recém aprovado no vestibular, se multiplicava por mil a cada vez que eu apertava o play para assistir aqueles espetáculos. Ainda hoje quando não tenho nada o que fazer, é sempre bom rever como uma pessoa conseguia transformar a moda em arte de uma maneira tão incrível e poetica. Lee Alexander McQueen foi com certeza uma das pessoas que mais me inspirou - e sempre será minha maior inspiração na moda - para decidir de vez o que eu quero fazer pelo resto da minha vida.

Quem acompanha o blog desde o início (a.k.a. makeyourmode), deve se lembrar dos inúmeros posts feitos para falar dos desfiles ou algum fato importante no qual Alexander McQueen estava envolvido. Infelizmente, todos os bons morrem cedo e McQueen não está mais entre nós para desenvolver suas obras de arte. Mas como muitos de vocês já sabem, a Sarah Burton, que foi assistente do próprio McQueen por muitos anos, assumiu o posto de estilista da marca e desde então vem desenvolvendo um trabalho bem coerente ao que era feito pelo estilista, mas sem grandes surpresas e inovação. A cada temporada eu fico esperando um grande show, um conceito inesperado e peças mirabolantes, mas Sara se mantém fazendo o que é seguro. As vezes tenho a impressão que ela vem desenvolvendo a mesma coleção desde quando assumiu. Óbvio que as peças são incríveis, com um trabalho de modelagem impecável, mas nada que me deixe emocionado. Ou que não me deixava até eu assistir o último desfile masculino da marca. É de encher os olhos e desejar cada peça como se fosse o último copo d'água no deserto.

A inovação e criatividade desse desfile da McQueen vem acompanhado de mais uma grande mudança. A marca após fazer parte do line da semana de moda masculina de Milão por anos, resolveu voltar ao seu país de origem, Inglaterra, e desfilou a sua primeira coleção na semana de moda de Londres. Não sei se estou pensando bobagem, mas eu vejo a moda de Londres muito mais ousada do que a de Milão, será que essa mudança de semana de moda foi o que permitiu a Sarah ousar um pouco mais? hum. Oremos que seja isso e que ela continue desfilando em Londres, rs. O local do desfile era fantástico também, terminou de compor todo o conceito da coleção.

O desfile começa com peças bem clássicas. Uma alfaiataria rente ao corpo, risca de giz (que fazia desenhos diferentes devido aos recortes) e abotoamento duplo. As cores predominantes do desfile são os pretos, vermelhos e cinzas, que apareciam nas peças em recortes, como blocos, quase um patchwork mais rico. Essa onda de preto e vermelho realmente chegou de vez na moda depois que a Givenchy lançou essa tendência, né? Depois vem a parte que eu mais amei no desfile, os conjuntos estampados que remetem aos vitrais e as rosáceas de igrejas góticas. Ai se eu tivesse ganhado na mega sena da virada, já estaria encomendando todos os conjuntos, rs. Ainda em meio a peças super bem elaboradas e repletas de recortes de veludo, kilts e calças com recortes laterais (Must have), apareceram os robes. Não muito usuais, mas que deram um toque especial no desfile. Parabéns Sarah Burton! 

O que vocês acharam desse desfile?

Nenhum comentário:

Postar um comentário