sexta-feira, 15 de junho de 2012

SPFW - O folclore cosmopolita de João Pimenta

Fui convidado pelo Leo a colaborar com posts sobre alguns dos desfiles que estão rolando no SPFW, e super topei porque, além de gostar de fazer isso, sou leitor e adoro o Armário Masculino! Quem não me conhece ainda, sou Dhyogo Oliveira, estou terminando a faculdade de design de moda aqui na cidade maravilhosa e trabalho com pesquisa de tendências e desenvolvimento de produto. Também escrevo semanalmente para o MPH e às vezes, no meu blog, o Sem Geração.

Ontem rolou um desfile que sempre fico ansioso para ver no SPFW. Confesso que gosto muito de desfiles conceituais com peças que podem, de uma forma ou de outra, serem usadas no dia-a-dia. É um espetáculo bonito de se ver, ainda mais sabendo que você pode transferir aquilo que está sendo mostrado na passarela para a vida real. No entanto, a moda brasileira tem um grande problema com desfiles conceituais: quando há essa tentativa, sempre cai no cliché ou surgem cópias do que vemos lá fora ou ainda, na maioria das vezes, vira quase uma festa folclórica. E esse foi o tema do desfile que rolou ontem do João Pimenta, o folclore ou, mais especificamente, a Festa de Reis, celebração tradicionalmente religiosa no estado de Minas Gerais (alô mineiros!). Eu sou mineiro, adoro o Estado e me amarro nessas comemorações que ainda preservam a cultura local.
Mas transferindo isso tudo para a moda, na passarela poderia se tornar assustador, visto que muitos estilistas que se inspiram na cultura brasileira acabam caindo no cliché. Mas não com João Pimenta. A moda atualmente está cada vez mais cosmopolita, mais universal e única em todo o mundo. E o estilista, como um dos poucos por aqui, soube fazer, como ninguém, essa adaptação de um costume ou de uma moda regionalista para uma roupa que pode ser usada em qualquer parte do mundo. No desfile, você consegue ver elementos locais colocados em um patamar global. O boi e a flor do maracatu viraram incríveis estampas que poderiam ser usadas nas ruas de Paris tranquilamente. A androginia, uma forte corrente e que sempre está presente nos desfiles do estilista, estava lá novamente assim como a modelagem ajustada e o incrível equilíbrio de proporções. O conceitual que adicionou um efeito cênico incrível ao espetáculo ficaram por conta das máscaras, nada óbvias. O melhor do desfile, na minha opinião, foi a cintura alta (que eu já aderi faz tempo!) e os tecidos desenvolvidos com exclusividade para a coleção.
E aí, o que você achou?


Fotos: Portal FFW

2 comentários:

  1. Olá Dhyogo Oliveira

    gostaria de lhe convidar para conferir processo de criação dos tecidos de palha de seda que desenvolvi para Verão 2013 João Pimenta

    www.peixesempeixes.blogspot.com

    Gostei do post, abraços

    Alexandre Heberte

    ResponderExcluir
  2. Olá Dhyogo Oliveira

    gostaria de lhe convidar para conferir processo de criação dos tecidos de palha de seda que desenvolvi para Verão 2013 João Pimenta

    www.peixesempeixes.blogspot.com

    Gostei do post, abraços

    Alexandre Heberte

    ResponderExcluir